Museu Carlos Machado

Voltar

Etnografia Regional

Camisa com Bordado

Linho e linha de algodão
A 78 x L 63 cm
MCM2027

Em Detalhe »

English absract

Azoreans produce unique embroidery, an activity that is both of domestic and commercial importance. For many years, women decorate their knitting and textile manufacturing with embroidery, using bright and strong colors, like blue, red, green and yellow.

Learning how to embroider starts at younger ages, when girls are introduced to knitting and sowing. They would start with the more simple needle work and needle points.

Azorean embroidery had great development during the 19th century, and even today it is a special part of the local industry.

Português

Os bordados dos Açores têm hoje lugar não só no artesanato regional, mas na história social, cultural e económica do arquipélago.

Elementos decorativos para muitas peças de vestuário dos açorianos, os tradicionais bordados, feitos pelas mãos hábeis das mulheres, para sí, ou para os noivos, maridos e filhos, constituem verdadeiras obras de dedicação e arte popular, onde predominam as cores garridas, como vermelho, azul, amarelo e verde, a alvura dos bordados a branco, ou ainda os dois tons de azul dos bordados a matiz, ou o dourado da palha de trigo bordada sobre tule preto (ilha do Faial). Casacos, camisas, camiseiros, saias, vestidos e lenços, especialmente os que se destinavam a ser utilizados aos domingos e dias de festa, eram enriquecidos e valorizados através desta arte decorativa.

Exemplo deste trabalho feminino, realizado com grande empenho e perfeição, é a camisa de homem ilustrada na ficha, executada na ilha de S, Miguel. Feita de linho e tecida no tradicional tear, esta camisa domingueira foi enriquecida com os típicos bordados ponto pé de flor e cheiro, predominando as cores vivas e alegres.

Para além dos bordados executados a nível do vestuário, também os enxovais de muitas jovens foram valorizados pelos bordados a branco, os quais integravam, por exemplo, diversos tipos de toalhas, centros de mesa, colchas, naperons, coberturas de almofadas e travesseiros, lençóis e viras, rodapés de cama, cortinas e aventais, entre outros. Estes bragais, e mesmo os enxovais de bebé, eram realizados por mulheres açorianas, que, em alguns casos, tinham nesta actividade uma fonte de receita.

A aprendizagem da arte de bordar iniciava-se em criança, quase sempre em ambiente familiar, com os pontos mais simples, como o ponto de pé de flor, de cetim, de malmequer, de cadeia, de grilhão, de casa, de sombra, ilhós e caseados, entre outros

A actividade dos bordados, ao nível da indumentária e dos têxteis de casa, que conheceu nos Açores grande desenvolvimento e variedade ao longo do século XIX, continua hoje a ser uma realidade.

Actualmente, os bordados constituem um produto genuíno e certificado dos Açores. Por todo o arquipélago, em espaço doméstico, em micro empresas ou em pequenas unidades artesanais, são muitas as mulheres que se dedicam à arte de bordar variadas peças, recorrendo a materiais e técnicas de execução tradicionais, contribuindo deste modo para complementar o rendimento familiar e preservar uma importante parcela do património cultural da região. [SFS]

Governo dos Açores, Presidência do Governo, Direcção Regional da Cultura Direcção Regional da Cultura Museu Carlos Machado
MUSEU CARLOS MACHADO
Núcleo de Santa Bárbara
9500-105 Ponta Delgada
Tel. 296 20 29 30/31
Fax. 296 20 29 39
Email: museu.cmachado.info@azores.gov.pt
Símbolo de Acessibilidade na Web [D]

SÍTIO WEB OPTIMIZADO PARA:
800x600 e 1024x768
Internet Explorer 6.0 ou superior
Firefox 2.0 ou superior