Museu Carlos Machado

Voltar

Arte Sacra

Crucifixo com Cristo agonizante

Escultura em chumbo policromado
Cruz em madeira entalhada
A 120 x L 45 cm (cruz)
A 49 x L 33 cm (cristo)
MCM6287
 

Em Detalhe »

Escultura de vulto, em chumbo policromado, representando Cristo vivo, dilacerado pela dor, nos últimos momentos antes da Sua morte.

Pregado na cruz, com três cravos, Cristo apresenta a cabeça erguida, reclinada à direita, com o olhar ao alto e a boca entreaberta. As chagas e o sangue presentes na policromia, e a ligeira torção do corpo, acentuam a imagem do sofrimento.

A cruz, de pendurar, em madeira entalhada, sugerindo um tronco de árvore, incorpora um resplendor de latão, circular, com radiação e centro com decoração relevada pontuada por pedras, e é encimada por uma cartela em prata dourada com habitual inscrição INRI.

A produção de esculturas religiosas em chumbo policromado, que sofreu um incremento a partir do século XVII, teve como um dos grandes centros produtores a região espanhola da Andaluzia.

A técnica da modelação em chumbo (chumbo com adição de outros metais, como o estanho, o antimónio ou o cobre), de modelos escultóricos de artistas conceituados, permitia uma produção seriada, de baixo custo, que foi em parte satisfazer a forte procura de um mercado em expansão – a América Latina – onde, a par da colonização, a Igreja Católica praticava a missionação e evangelização.

Diferentes imagens e modelos iconográficos, essencialmente Meninos Jesus e Cristos crucificados, saídos de oficinas andaluzas, foram exportados para satisfazer encomendas específicas das novas igrejas e conventos, ou para integrar oratórios privados.

Este crucifixo foi uma doação de Maria Clementina Faria e Maia de Sousa, representante dos herdeiros de Bernardo Machado de Faria e Maia (Ponta Delgada, 1797-1841), a quem terá pertencido.

Bernardo Machado de Faria e Maia, doutor em cânones pela Universidade de Coimbra, prior da Matriz de São Sebastião de Ponta Delgada, foi governador temporal e visitador-geral do bispado de Angra. Fez parte da comissão que preparou a reforma liberal da estrutura eclesiástica dos Açores, que culminou com a publicação do polémico Decreto de 17 de Maio de 1832, extinguindo as Colegiadas e Conventos nos Açores. Posteriormente eleito deputado às Cortes pela Província Oriental dos Açores, participou nos trabalhos parlamentares da I Legislatura (1834-1836) da Monarquia Constitucional Portuguesa.

[AF]

 

English

A sculpture in polychrome lead depicting Christ, agonizing in pain during the last moments of his life.

Nailed to the cross with three nails, Christ is portrayed holding his head raised towards the right, looking up, with his mouth slightly open. The wounds and blood, in addition to the slight twist of the body, accentuate his suffering.

The cross, carved in wood, resembling a tree trunk, includes a brass, circular, and centered radiance, with stone details in relief and the usual INRI inscribed at the top in gilded silver.

One of the greatest production centers of religious sculptures in polychrome lead was located in the Spanish region of Andalusia, which increased its production after the 17th century.

The lead modeling technique (added to other metals, such as tin, antimony or copper), from sculptural casts of well-known artists, allowed a low-cost serial production mainly to meet the strong demand of the expanding Latin American market, where the Catholic Church had sent missionaries to evangelize the local populations.

Different images and iconographic pieces, essentially Baby Jesus and Crucified Christs, left Andalusian workshops to be exported and incorporated in new churches, convents or private oratories.

This crucifix was donated by Maria Clementina Faria e Maia de Sousa, on behalf of Bernardo Machado de Faria e Maia’s heirs (Ponta Delgada, 1797-1841), to whom it had belonged.

Bernardo Machado de Faria e Maia, who attendant the University of Coimbra, was priest of the Main Church in São Sebastião, Ponta Delgada, and also governor and apostolic visitor of the bishopric of Angra do Heroísmo. He belonged to the comity responsible for the liberal reform of the Azorean ecclesiastical system, which culminated with the controversial Decree of May 17th, 1832, that extinguished the Collegiate and Convents of this region. Subsequently, he was elected deputy by the Eastern Province of the Azores and actively participated in the 1st Legislature (1834-1836) of the Portuguese Constitutional Monarchy.

Governo dos Açores, Presidência do Governo, Direcção Regional da Cultura Direcção Regional da Cultura Museu Carlos Machado
MUSEU CARLOS MACHADO
Núcleo de Santa Bárbara
9500-105 Ponta Delgada
Tel. 296 20 29 30/31
Fax. 296 20 29 39
Email: museu.cmachado.info@azores.gov.pt
Símbolo de Acessibilidade na Web [D]

SÍTIO WEB OPTIMIZADO PARA:
800x600 e 1024x768
Internet Explorer 6.0 ou superior
Firefox 2.0 ou superior