Museu Carlos Machado

Voltar

Arte Sacra

Embaixada de S. Francisco Xavier

Bento Coelho da Silveira (1620-1708)
ca. 1670-1675
Óleo sobre tela
A 187 x L 243 cm
MCMD5709

Em Detalhe »

English abstract

Bento Coelho da Silveira (1620 – 1708) was nominated as D. Pedro II’s Royal Painter and was one of the most famous portuguese artists of the XVII century.

This particular painting illustrates the visit of Saint Francis Xavier to the kingdom of Bungo. In this embassy, Saint Francis presented himself not as as a poor traveller but as an Embassador for the Pope, with his company richly dressed and carrying many gifts.

The local governor, very impressed by this visit, lended a budist temple for Saint Francis’ catholic mission in the Orient.

Português

Da colecção da Igreja de Todos-os-Santos do Colégio dos Jesuítas de Ponta Delgada, actualmente Núcleo de Arte Sacra do Museu Carlos Machado, são quatro as pinturas atribuídas a Bento Coelho da Silveira (1620-1708), nomeadamente: Embaixada de S. Fancisco Xavier à Corte do Rei do Bungo, no Japão, S. Francisco Xavier e o Milagre das Águas, Morte de S. Francisco Xavier na Ilha de Sancião e Nossa Senhora da Assunção. Bento Coelho da Silveira foi nomeado Pintor Régio de D. Pedro II em 1678, tendo sido um dos mais conceituados artistas portugueses do século XVII. As suas obras são maioritariamente pintadas a óleo sobre tela, material inovador no século XVII, por influência italiana. Albert Haupt, em 1912, refere que os seus trabalhos são "maneiristas e espontâneos"1.

A pintura relativa à Embaixada de S. Francisco Xavier à Corte do Rei do Bungo é uma representação com várias interpretações anteriores, que segue, segundo Luís Moura Sobral, especialista em pintura portuguesa seiscentista, "(.) a pormenorizada narrativa de Lucena, sobre a vida de Francisco Xavier e a visita à corte do Rei do Bungo, em 15512.

São Francisco, levado pela mão por um menino, é atenciosamente recebido por um nobre japonês, ricamente vestido e de turbante na cabeça. Para aquele investigador, o quadro parece corresponder ao encontro de Francisco Xavier com um irmão do rei, numa grande sala, imediatamente antes da embaixada chegar à antecâmara do monarca, no Bungo. Aquele príncipe, que se tornara amigo pessoal de Francisco Xavier, viria a ser Rei de Yamaguchi, tendo protegido a Companhia de Jesus naquele território. Sendo assim, o quadro de Bento Coelho pode chamar a atenção para o episódio central de Yamaguchi. Aí, ele apresenta-se ao Daymio desta cidade, não como um pobre peregrino, mas como Embaixador do Papa, acompanhado de um séquito de trinta portugueses, com ricos trajes e portadores de várias prendas. Na frente, o Capitão D. Eduardo da Gama suporta na mão direita uma cana de comando e S. Francisco aparece com uma batina de camaleão, uma sobrepeliz e uma estola de veludo verde, guarnecida de brocados de ouro.

O Daymio, bem impressionado, cedeu um templo budista para a sua missão católica no Oriente.

[AMSO]

1 Luís de Moura Sobral, Bento Coelho e a pintura do seu tempo, in Bento Coelho (1620-1708) e a Cultura do seu Tempo, Lisboa, Ministério da Cultura e Instituto Português do Património Arquitectónico, 1998, p. 24.

2 Idem, p. 250.

Governo dos Açores, Presidência do Governo, Direcção Regional da Cultura Direcção Regional da Cultura Museu Carlos Machado
MUSEU CARLOS MACHADO
Núcleo de Santa Bárbara
9500-105 Ponta Delgada
Tel. 296 20 29 30/31
Fax. 296 20 29 39
Email: museu.cmachado.info@azores.gov.pt
Símbolo de Acessibilidade na Web [D]

SÍTIO WEB OPTIMIZADO PARA:
800x600 e 1024x768
Internet Explorer 6.0 ou superior
Firefox 2.0 ou superior