Museu Carlos Machado

Voltar

Etnografia Regional

Viola da Terra

Jacinto D'Oliveira
Madeira de acácia, cedro, casquinha e metal
A 10,8 x C 93,5 x L 27,2
MCM1452

Em Detalhe »

English abstract

The origins of the tradional Viola da Terra (a typical and traditional guitar) comes from the arrival in the islands of the first portuguese guitars, brought by the initial settlements.

This traditional guitar became an important social and cultural part for the azoreans, and a cause for celebration – and source of pride – for its owners and players. It is commonly used for many traditional songs and dances, like the famous sapateia or the pezinho.

Português

A origem da viola da terra está relacionada com a presença da viola portuguesa ou "guitarra", trazida do continente no início do povoamento das ilhas. Nas Saudades da Terra, de Gaspar Frutuoso, primeiro cronista açoriano, são várias as referências a tocadores ou "tangedores" de viola. Porém, até ao século XIX, altura em que surgem, em gravuras alusivas a festividades populares, representações da viola açoriana, desconhece-se a sua evolução, bem como o desenvolvimento das suas respectivas características. Dotada de traços e de uma sonoridade particular, a viola da terra apresenta-se segundo dois tipos principais: a terceirense e a micaelense.

A viola da terra, ou viola de arame, pode encontrar-se em quase todas as ilhas do arquipélago, variando por diferenças de construção, encordoamento, afinação e técnica de execução. Instrumento predilecto do povo, a viola da terra, que aqui divulgamos, é do tipo micaelense, sendo constituída por uma caixa de ressonância alta, estreita e em forma de oito, com cintura pouco acentuada, braço comprido e escala que vai até à boca, com vinte e um pontos. Apresenta doze cordas de arame, dispostas em cinco arcelas: as três primeiras duplas e as duas seguintes triplas. A abertura existente no tampo tem forma de dois corações unidos, com as pontas para fora, expressão dos sentimentos do povo micaelense, simbolizando a saudade, a gratidão e o amor. Por essa razão é também designada por viola de dois corações. Esta viola apresenta ainda no interior da caixa uma etiqueta, visível através de dois corações, com referências ao seu construtor: "Jacinto D'Oliveira, 3 - Rua do Negrão - 5, Ponta Delgada, S. Miguel - Açores. Faz e conserta todos os instrumentos de corda tais como: guitarras, violas, bandolins, violões e violinos, etc.". Em S. Miguel, foram muitos e excelentes os artesãos que se dedicaram à arte de construir violas da terra, os quais, na sua maioria, permanecem desconhecidos. Este saber, transmitido de geração em geração, permitiu que muitos desses artífices sustentassem (de forma exclusiva ou não) das suas famílias, com a construção destes instrumentos musicais, num trabalho árduo de paciência e dedicação.

A viola da terra assumiu, ao longo do tempo, grande importância social e cultural na vida dos açorianos, marcando presença em diversas manifestações festivas tradicionais, para acompanhar melodias como a saudade, a sapateia, o pezinho, a bela aurora, a chamarrita, entre outras, ocupando lugar privilegiado na poesia popular e "partindo" para a diáspora com muitos dos que emigravam. Quanto aos tocadores deste instrumento, sempre foram muito apreciados, não faltando aplausos de cada vez que um dedilha a viola da terra com orgulho e paixão.

[SFS]

Governo dos Açores, Presidência do Governo, Direcção Regional da Cultura Direcção Regional da Cultura Museu Carlos Machado
MUSEU CARLOS MACHADO
Núcleo de Santa Bárbara
9500-105 Ponta Delgada
Tel. 296 20 29 30/31
Fax. 296 20 29 39
Email: museu.cmachado.info@azores.gov.pt
Símbolo de Acessibilidade na Web [D]

SÍTIO WEB OPTIMIZADO PARA:
800x600 e 1024x768
Internet Explorer 6.0 ou superior
Firefox 2.0 ou superior