As Pegadas São Pontes

Exposição

Núcleo de Arte Sacra
17.4 - 22.8
Exposição onde se dão a conhecer 25 obras do artista André Almeida e Sousa, criadas entre 2012 e 2020, com curadoria de João Silvério.

Um itinerário de transfigurações

 

André Almeida e Sousa tem desenvolvido o seu trabalho construindo pinturas, desenhos e objectos sob formas, composições e relações muito diversas. Os desenhos, em painéis modulares de apreciável dimensão e detalhe, ou em folhas de formato médio, transitam entre a transparência de planos e uma densidade sedimentada e profunda que se revela através de uma expressão introspectiva e codificada que reside numa questão permanente que o artista coloca a si mesmo. O título da exposição, é um dos caminhos possíveis para a resposta a essa questão e apresenta-se como um aforismo, um fragmento do seu pensamento, que agrega a praxis ao sentimento e ao percurso do seu imaginário, austero mas profundamente transformador. Esse imaginário estribado numa intuição temporal é pautado por um itinerário diarístico, como um andamento que marca uma pulsão poética, sistemática, e entregue a um monólogo que não se ausenta de escutar a voragem das imagens que lhe passam em redor. Neste sentido, o trabalho de Almeida e Sousa é, na sua essência, uma mediação e simultaneamente uma transfiguração que ocorre na prática da pintura, do desenho e da escultura, mas nunca é um resultado final e acabado.

Todo este processo encontra na matéria pictórica um campo de possibilidades muito contido, enquanto obra de arte que nos desafia e nos coloca perante uma procura permanente, porque se trata de um procedimento que se organiza por sobreposições, ocultações e desvelamentos.

 

João Silvério

Outros Destaques

foto do item

Pelágica

Pelágica reflete sobre a recente classificação do arquipélago dos Açores como um Hope Spot.
foto do item

Domingos Rebêlo

A exposição é um tributo ao pintor Domingos Rebêlo enquanto figura central do panorama artístico açoriano do século XX.
foto do item

Canto da Maya

A exposição de longa duração apresenta a vida e a produção artística de um dos maiores vultos da escultura açoriana e nacional da primeira metade do século XX.